29 de julho de 2015

Liberdade Para Mário Machado!




A Nova Ordem Social vem por esta forma mostrar toda a solidariedade e camaradagem, para além de reforçar a confiança política, ao preso Nacionalista Mário Machado, por este estar a ser alvo de um novo processo judicial que foi “fabricado” pelos inimigos do Nacionalismo, com o único objectivo de protelar a liberdade de Machado e obstruir o avanço da Nova Ordem Social. 

Segue-se o comunicado que Mário Machado escreveu na sua página oficial no Facebook (também disponível em https://www.facebook.com/profile.php?id=100004409959292&fref=ts).


A VERDADE REPOSTA!

No passado dia 22 de Julho um manifesto de ódio político travestido de peça jornalista foi escrito no “DN”, por Valentina Marcelino, e foi replicado nos Jornais e estações de Televisão.

Valentina, que já em 2006 escrevera no Jornal “O Expresso” que os Nacionalistas Portugueses estavam a ser financiados pelo Irão, tem demonstrado ter uma agenda política bem clara e definida, ao arrepio do que deveria ser um jornalismo sério, plural e com rigor. Desta forma, não admira que um “artigo de encomenda” como este só pudesse ter origem nesta “jornalista”.

Fazendo valer o direito que me assiste, apresentei queixa-crime por difamação agravada e violação do segredo de Justiça junto da P.G.R. ainda esta semana.

Em relação ao Processo, o que se segue é, sob Compromisso de Honra, a Verdade, mas a Gravidade destas próximas palavras é tal que colocámos na P.G.R. queixa-crime “contra incertos” por: falsidade de depoimento, artº. 359º; Denuncia Caluniosa, artº 365º; Simulação de crime, artº. 366º, e Denegação de Justiça e prevaricação artº. 369º. Ambos do Código Penal (C.P.).

 

Vamos então ao caso.

Em Janeiro de 2014 escrevi uma carta e entreguei-a na visita prisional a João D. dizendo-lhe: ”Vou pensar se isto é para ir para a frente, depois aviso-te mas até lá guarda a carta”.

Cerca de 7 a 8 dias depois, ligo-lhe a dizer: ”Esquece essa carta, já não quero ir para a frente com essas cartas” (cartas com indícios de ameaças e extorsão, alegadamente).

Em Fevereiro, João faz as pazes com Rute A. (hoje sei que, devido a relatos que me chegaram posteriormente, João terá sido correio e revendedor e toxicodependente).

Apesar de nunca mais ter tido qualquer tipo de contacto com esse rapaz, e 2 meses e meio depois de ter dado ordem para destruir a carta, este, conluiado com Rute, entrega-lhe a carta na loja desta com a G.N.R. presente. Como qualquer Jurista sabe, actos preparatórios, artº. 21º. do C.P.,  não são crime; para o serem, seria necessário existir, no mínimo, a tal tentativa.

Tentativa esta forjada, por João, com Rute e com a G.N.R. (curiosamente a mesma brigada que actuou em anteriores processos movidos pelo Ministério Público aos Nacionalistas na pessoa da Procuradora Cândida Vilar).

Isto é gravíssimo e um novo patamar no Ódio Político Organizado por “alguém” que não quer sequer sonhar com a minha liberdade.

Pela primeira vez na minha vida, foram forjadas provas contra mim, e já estão a fazer efeito pois segundo a Juíza do Tribunal das Penas se este processo não existisse teria sido colocado em Liberdade em Outubro de 2014.

Peço a todos os Nacionalistas ajuda para denunciar este caso, pois juro pela minha Honra que estou Inocente, e o que é ainda mais grave do que isso, provas foram plantadas e isto jamais poderá ser silenciado.

A Minha Honra chama-se Fidelidade!!

Alcoentre, 27 de Julho de 2015

Mário Machado